terça-feira, 24 de junho de 2008

Uma tarde de inverno...


Quando a neve cai na janela,
Ao longe dobra o sino da tarde.
A mesa está posta para muitos
E a casa bem suprida.

E alguns, em sua errância,
Chegam por caminhos escuros.
A árvore da graça floresce dourada
Da fresca seiva da terra.

O peregrino aproxima-se em silêncio;
A dor petrificou a soleira.
Lá, em pura radiância,
Pão e vinho brilham sobre a mesa.

Georg Trakl